Os três erros mais comuns sobre ghost spam - DIG marketing digital

Os três erros mais comuns ao bloquear Ghost spam

Posted on Posted in Dicas, Todos

Os três erros mais comuns sobre ghost spam - DIG marketing digital

Já faz algum tempo que venho pesquisando uma maneira eficiente para resolver esta questão. De acordo com diversos artigos que encontrei e comentários em fóruns de discussão, existem basicamente três erros que as pessoas fazem quando se trata de spam no Google Analytics.

Erro # 1. Bloquear Ghost spam no arquivo .htaccess

Um dos maiores erros que as pessoas fazem é tentar bloquear Ghost Spam pelo arquivo .htaccess.

Para aqueles que não estão familiarizados com esse (o .htaccess), uma de suas principais funções é permitir/bloquear o acesso ao seu site, e um dos maiores erros que as pessoas fazer é tentar bloquear o Ghost spam por ele. Sabemos que os registros de Ghost spam nunca alcançam seu site, então adicioná-los ao .htaccess não terá qualquer efeito e só vai acrescentar linhas inúteis para seu arquivo.

Ghost spams geralmente aparecem por alguns dias e depois desaparecem. Como resultado, às vezes as pessoas pensam que eles foram bloqueados com sucesso a partir do .htaccess, quando na verdade é apenas uma coincidência de calendário.

Então, mais tarde quando os spammers voltam a aparecer nos relatórios, as preocupações também voltam  porque a solução não está mais funcionando. Achamos então que o spammer de alguma forma contornou as barreiras configuradas.

A verdade é que o arquivo .htaccess só pode efetivamente bloquear o Crawlers spams, como buttons-for-website.com,  e alguns outros que de fato acessam seu site. A maioria dos spams não podem ser bloqueados usando esse método, portanto não há outra opção além  de usar filtros para excluí-los.

Erro # 2. Usar a “Lista de Exclusão de Referência” do GA para bloquear o spam

Outro erro é tentar usar uma “Lista de Exclusão de Referência” para bloquear o spam. O nome pode confundi-lo, mas esta lista não pretende excluir referências no caminho que queremos para o spam. Tem outras finalidades.

Por exemplo, quando um cliente compra algo, às vezes eles é redirecionado para uma página de terceiros para pagamento (gateway de pagamento). Depois de fazer um pagamento, eles são novamente redirecionados de volta para o seu site, e o GA registra uma nova referência. É conveniente usar a Lista de Exclusão de Referência para impedir que isto aconteça.

Se você tentar usar a Lista de Exclusão de Referência para gerenciar spam, a parte de referência será removida, pois não há registro preexistente. Como resultado, uma visita direta será gravada e você terá um problema maior do que aquele que já tinha. Você ainda terá spam, e visitas diretas são mais difíceis de controlar.

Erro # 3. Preocupação com as alterações na taxa de rejeição e se elas irão afetar o seu ranking na pesquisa orgânica.

Quando notamos que a taxa de rejeição muda drasticamente por causa do spam,  começamos a nos preocupar com o impacto que isso terá sobre ranking SERP (Search Engine Results Page).

Influ~encia do Ghost spam na taxa de rejeição - DIG Links Patrocinados

Este é outro erro muito comum. Com ou sem spam, o Google não leva em consideração as métricas do Google Analytics como um fator de classificação. Aqui está uma explicação sobre isso de Matt Cutts (video em inglês), o ex-chefe da equipe de spam do Google na web.

E se pensarmos um pouco sobre isso, a explicação Cutts faz sentido. Embora muitas pessoas possuam o GA, nem todas o usam.

Supondo que seu site foi hackeado

Outra preocupação comum quando as pessoas vêem páginas de destino estranhas  registradas pelos spams em seus relatórios, é que foram “hackeadas”.

Relação do Ghost spam e landing pages - DIG Links Patrocinados

A página de destino que o relatório mostra para o spam, e se você tentar abri-la,  terá uma página 404. Seu site então não foi comprometido.

Mas você tem que se certificar de que a página não existe. Porque há casos (não spam), onde alguns sites têm uma falha de segurança e são injetados com páginas cheias palavras-chave de baixa qualidade para difamar o site.

Com o que você deve se preocupar ?

Agora que descartamos os problemas de segurança e seus efeitos sobre os ranking da pesquisa orgânica, a única coisa que fica para se preocupar são seus dados. A trilha falsa que o spam deixa para trás polui seus relatórios. Ele pode ter maior ou menor impacto, dependendo do tráfego do site, mas todo mundo é suscetível ao spam.

Websites pequenos e médios são as mais facilmente afetados – não apenas porque uma grande parte do seu tráfego pode ser spam, mas também porque geralmente esses sites tem auto-gestão e não têm o apoio de um analista ou um webmaster.

Grandes sites com um grande tráfego também podem ser afetados por spam e, embora o impacto possa ser insignificante, o tráfego inválido significa relatórios imprecisos. Não importa o tamanho do site, como analista você deve ser capaz de explicar o que está acontecendo mesmo nos relatórios mais detalhados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *